/  Dicas   /  5 Dicas para escolher a tinta de cassa corretamente

5 Dicas para escolher a tinta de cassa corretamente

Quantas vezes você aí do outro lado da telinha, não se viu naquele dilema: como escolher a tinta para pintar o ambiente?

Afinal, com tantas opções em marcas, cores, acabamentos, preços, a gente acaba se perdendo um pouquinho, né?

Será que a maneira mais fácil de escolher, por exemplo, a cor da tinta com a qual você realizara a pintura interior ou externa, seja da fachada e dos muros, seja dos cômodos do imóvel, é começando com as cores que você ama?

E o tipo de tinta, qual é o ideal e correto para usar nas paredes do escritório, da casa ou loja?

Se todas estas questões te deixam aflito (a), fique calmo (a)! Nossos Doutores e Doutoras em Tintas, do Clube das Tintas, estão aqui mais uma vez para lhe prestar socorro.

Descubra a seguir, 7 dicas para escolher tinta corretamente e fazer a pintura que você sempre desejou!

Preço baixo não significa economizar

Quantas vezes você se deparou com algum produto com preço bem abaixo do mercado, adquiriu e quando utilizou, certificou-se de que a qualidade não era das melhores?

Com as tintas, isso não é diferente. Aliás, no segmento de tintas é muito comum detectarmos isso com maior ênfase. Você não precisa pagar um preço absurdo de alto, no entanto, uma tinta com qualidade superior vai render mais e necessitará de menos demãos.

No cálculo final, você verá que pagar um pouco a mais por um produto de melhor qualidade, refletirá em mais economia para o seu bolso e também em relação ao tempo de pintura.

Atente-se ao lote da tinta

Você sabia que quando compramos mais de uma lata da mesma tinta, pode ocorrer delas constarem de lotes diferentes?

Pois bem, fato é que ao comprar quantidades maiores de tintas, caso elas sejam de lotes diferentes, pode ocorrer de mudar um pouco a tonalidade de uma lata para outra.

Se isso acontecer, não se preocupe. Confira se há lotes diferentes, e se a resposta for positiva, procure misturar todas as tintas, criando assim uma tonalidade única para toda a quantidade comprada.

Faça o cálculo do volume de tinta

Nada pior do que comprar tinta a mais e ver ela estragando no canto abandonado do quintal, te lembrando a todo momento o quanto você foi negligente e desperdiçou dinheiro.

Antes de comprar tinta, faça o cálculo de quanto vai precisar para executar a pintura dos ambientes.

Via de regra, na lata da tinta você encontra a metragem que será possível pintar com uma lata.

Aqui mesmo no Clube das Tintas já ensinamos como proceder, veja:

Suponha que o ambiente a ser pintado, oferece os seguintes números:

Altura = 3m (Três metros)

Largura = 2,7m (Dois metros e setenta centímetros)

Formula = Altura X Largura

3m x 2,7m = 8,1m

Temos, então:  8,1 metros quadrados de área

(Fonte: http://www.industriahoje.com.br/como-calcular-o-metro-quadrado-de-uma-parede).

Feito isso, siga as seguintes etapas:

1-      Observe as instruções do fabricante da tinta, geralmente disponíveis na lata do produto, e sempre calcule a área que será pintada (altura x largura).

2-      Não se esqueça de descontar os vãos, janelas, portas, rodapés.

3-      Aplique então, a seguinte fórmula, chamada de “taxa de cobrimento”:

Q = Quantidade de produto A = Área de pintura em m² D = Número de demãos recomendado pelo fabricante RP = Rendimento do produto (em m²) para cada demão de tinta.

Use a tinta certa para cada tipo de ambiente que irá pintar

Esse ponto é muito importante. Usar o tipo de tinta inadequado para determinado ambiente, poderá por a perder todo o trabalho executado, seu tempo e dinheiro.

Sendo assim, atente-se aos seguintes fatores:

  • Em ambientes internos, como banheiros e cozinhas, que via de regra, são locais úmidos, o mais recomendado é utilizar a tinta acrílica. Isso pelo fato dela oferecer uma resistência maior quanto à umidade. Sem contar com o fato de se tratar de uma tinta impermeável e possibilitar acabamentos diferenciados, como fosco, semibrilho e acetinado, por exemplo.
  • Em ambientes internos considerados secos, a tinta látex (ou PVA) promove bons resultados  na pintura de paredes e também de tetos. Tem acabamento do tipo fosco.
  • Em fachadas, muros e demais ambientes externos, convencionou-se utilizar a tinta acrílica, pelo fato da exposição á chuva, sol e nuances climáticas.

Em relação a tinta látex, ela promove alguns benefícios, como:

  • Por ser uma tinta à base de água, não tem cheiro forte;
  • Não amarela com o tempo;
  • É bem melhor para o meio ambiente;
  • Tem secagem mais rápida;
  • Pode ser lavada de um jeito bem fácil, usando sabão e água.

Observe a superfície que você irá pintar

Falamos sobre escolher a tinta correta para pintar tetos e paredes, mas e quando se trata de madeira, como móveis, ou ainda metal como portões? E se formos pintar azulejos e caixa d’água?

Para cada tipo de superfície, temos o tipo de tinta ideal.

Azulejo, caixa d’água e plástico, implicam no uso de tinta epóxi, por exemplo. Para metais, indicamos a pintura com tinta a óleo, esmalte e até mesmo automotivas. Já para pintar madeiras, tinta óleo, esmalte sintético e tintas spray, são boas opções!

Veja mais dicas para caprichar na pintura, a seguir:

8 DICAS PROFISSIONAIS PARA ACERTAR NA PINTURA DA CASA

COMO PINTAR PAREDES QUE JÁ TÊM GRAFIATO?

E então, já ficou craque em escolher tintas? Que tal então colocar nossas dicas em prática e fazer a magicada pintura acontecer?

Conte pra nós qual foi o resultado e compartilhe este post com seus amigos agora!

Deixar um Comentário